Apendicite Aguda Pelotas, Rio Grande do Sul

Apendicite Aguda em Pelotas. Encontre telefones, endereços e informações sobre Apendicite Aguda em Pelotas e região. Leia o artigo abaixo para obter dicas, tutoriais e informações relevantes sobre Apendicite Aguda.

Antonio Soares Siedler
(53) 225-4081
R Tiradentes 2923
Pelotas, Rio Grande do Sul
Especialidade
Clínica Médica

Dados Divulgados por
Gilberto Abduch Junior
(53) 3225-0144
Rua Três de Maio 970
Pelotas, Rio Grande do Sul
Especialidade
Clínica Médica

Dados Divulgados por
Maria da Graca Valente Cardoso
Rua Cassiano 451
Pelotas, Rio Grande do Sul
Especialidade
Clínica Médica

Dados Divulgados por
Antonio Dias Soares Neto
(53) 222-5210
Rua Felix da Cunha 655
Pelotas, Rio Grande do Sul
Especialidade
Clínica Médica

Dados Divulgados por
Renato Azevedo da Silva
553-2292
R Gomes Carneiro 1560
Pelotas, Rio Grande do Sul
Especialidade
Clínica Médica

Dados Divulgados por
Joao Alfredo Costa da Silveira
(53) 225-8244
R Generaleto 1361 - Sl. 101
Pelotas, Rio Grande do Sul
Especialidade
Clínica Médica

Dados Divulgados por
Jose Augusto Froner Bicca
532-2559
R Marechal Deodoro 800 - Sl. 701
Pelotas, Rio Grande do Sul
Especialidade
Clínica Médica

Dados Divulgados por
Luiz Henrique Lorea de Lorea
(53) 227-2035
Rua Br Sta Tecla 583 - 804/805
Pelotas, Rio Grande do Sul
Especialidade
Clínica Médica

Dados Divulgados por
Mariane Terezinha Geller
(51) 3227-1204
Rua General Osorio 1184
Pelotas, Rio Grande do Sul
Especialidade
Clínica Médica

Dados Divulgados por
Milton Martins Moraes
Dr Cassiano 47
Pelotas, Rio Grande do Sul
Especialidade
Clínica Médica

Dados Divulgados por
Dados Divulgados por

Apendicite aguda: sintomas, causas, tratamento

O apêndice é uma estrutura tubular alongada, em formato vermiforme, comprido como um verme, que se localiza na primeira porção do intestino grosso, na região do ceco. Seu tamanho é aproximadamente 10 centímetros. Nessa região, por ter comunicação com o intestino grosso, pode ocorrer de fragmentos que estão no interior intestinal se alojarem no apêndice, causando obstrução e consequente inflamação. Esses fragmentos, normalmente, são formados por pequenas porções de fezes, que denominamos fecalitos. Quando ocorre uma inflamação ou infecção do apêndice vermiforme, chamamos de apendicite aguda.Sinais e sintomas Os sintomas mais comuns são, inicialmente, uma dor em região umbilical, juntamente com náuseas e vômitos. Algum tempo depois, a dor se desloca para a região inferior do abdome, ao lado direito do paciente. Pode ocorrer febre moderada e perda de apetite.Se o organismo não bloquear a infecção do apêndice, esta pode se espalhar pelo abdome provocando um quadro muito grave de peritonite aguda, que pode levar a morte. Nesse caso é necessário fazer cirurgia, imediatamente.Quando a infecção se espalha, os sintomas mais comuns são dor difusa de alta intensidade e febre alta.As manifestações não se restringem aos sintomas comentados anteriormente. Existe uma gama de sinais e sintomas bem diversa, que dificulta o diagnóstico.DiagnósticoPara o diagnóstico, o médico precisa associar os sintomas relatados pelo paciente com o exame clínico, além de efetuar exames complementares como hemograma, radiografia simples do abdome, ecografia, tomografia computadorizada, laparoscopia e exame comum de urina (Urina I).Exames complementaresAs alterações encontradas no hemograma são normalmente o aumento de glóbulos brancos (leucócitos), evidenciando infecção.A urina I é para descartar possível cálculo renal, no lugar de apendicite.A radiografia (Raio X) simples de abdome, além de ajudar a excluir outros diagnósticos, pode demonstrar um fecalito na região do apêndice, além de sinais que indicam a perda de função momentânea do intestino.A ecografia é um exame indolor, não invasivo, que pode demonstrar aumento de volume do apêndice e a presença de abscesso (coleção de pus). Porém, o apêndice não é sempre visível na ecografia. Outra função deste exame é descartar outras doenças, principalmente, de caráter pélvico em mulheres.Tomografia computadorizada é indicada quando os sintomas não são típicos, para diferenciar apendicite de outras doenças que podem acometer o abdome.Se depois da realização de todos os exames, ainda houver dúvida sobre o diagnóstico de apendicite, pode-se indicar a laparoscopia. Esse procedimento é feito com a introdução de uma pequena câmera, que transmite as imagens do local para um aparelho de televisão, possibilitando aos médico analisarem, com maior precisão, se há inflamação ou infecção. Durante o procedimento pode-se, ainda, fazer a retirada do apêndice.TratamentoQuando há suspeita ou diagnóstico de apendicite aguda é feita a cirurgia de retirada da porção inflamada. Se houver presença de abcesso é necessário drenar o conteúdo.Devido à modernidade, tem ocorrido um aumento no número de cirurgias de apendicite por laparoscopia. Esse procedimento operatório tem vantagens sobre a cirurgia aberta, pois a incisão abdominal é bem menor.O tratamento com antibióticos dentro do hospital e após a alta também são condutas muito comuns. Não há como prevenir exatamente a apendicite. Pois, não se pode determinar quando um fecalito vai se alojar no apêndice.