Catapora Pelotas, Rio Grande do Sul

Catapora em Pelotas. Encontre telefones, endereços e informações sobre Catapora em Pelotas e região. Leia o artigo abaixo para obter dicas, tutoriais e informações relevantes sobre Catapora.

Enrique Daniel Saldana Garin
Lobo da Costa 726 - 802
Pelotas, Rio Grande do Sul
Especialidade
Clínica Médica

Dados Divulgados por
Nelson Ribas Pacheco
(53) 3227-2920
Rua Pinto Martins 800
Pelotas, Rio Grande do Sul
Especialidade
Clínica Médica

Dados Divulgados por
Gilberto Abduch Junior
(53) 3225-0144
Rua Três de Maio 970
Pelotas, Rio Grande do Sul
Especialidade
Clínica Médica

Dados Divulgados por
Ildo Eugenio Fonseca Chiattoni
(53) 3026-2940
R General Osorio 1236
Pelotas, Rio Grande do Sul
Especialidade
Clínica Médica

Dados Divulgados por
Margot Fetter Costa
(53) 3225-5941
Pca Piratinino Almeida 8 - 14
Pelotas, Rio Grande do Sul
Especialidade
Clínica Médica

Dados Divulgados por
Renato Azevedo da Silva
553-2292
R Gomes Carneiro 1560
Pelotas, Rio Grande do Sul
Especialidade
Clínica Médica

Dados Divulgados por
Mariane Terezinha Geller
(51) 3227-1204
Rua General Osorio 1184
Pelotas, Rio Grande do Sul
Especialidade
Clínica Médica

Dados Divulgados por
Jose Augusto Froner Bicca
532-2559
R Marechal Deodoro 800 - Sl. 701
Pelotas, Rio Grande do Sul
Especialidade
Clínica Médica

Dados Divulgados por
Antonio Soares Siedler
(53) 225-4081
R Tiradentes 2923
Pelotas, Rio Grande do Sul
Especialidade
Clínica Médica

Dados Divulgados por
Luiz Henrique Lorea de Lorea
(53) 227-2035
Rua Br Sta Tecla 583 - 804/805
Pelotas, Rio Grande do Sul
Especialidade
Clínica Médica

Dados Divulgados por
Dados Divulgados por

Alerta para a catapora: sintomas, cuidados

Sobre a doençaA varicela, também conhecida como catapora, é uma doença muito comum em nosso meio, principalmente na primavera, pois a alta temperatura ajuda na proliferação do vírus. Logo, nessas épocas ocorrem os surtos da doença.Embora a maioria dos casos seja benigna, alguns podem ser graves. Principalmente em crianças muito pequenas e imunodeprimidos, podendo levar até ao óbito.Os adultos que nunca pegaram a doença também podem se infectar com o vírus. Quando isso acontece cuidados mais intensos devem ser despendidos ao doente, pois são comuns as graves complicações.Em 2010 o Estado de são Paulo registrou 39.043 casos da doença e até julho de 2011 foram registrados 1.413. O pior ano da doença no estado foi 2003, com 51,6 mil casos.A transmissão ocorre através da saliva ou secreções respiratórias, ou ainda, pelo contato com o líquido que fica no interior das vesículas. O agente responsável pela infecção é o vírus varicela zoster.Depois de infectado e encerrado o ciclo da doença, a pessoa se torna imune ao vírus. Ou seja, não tem a catapora uma segunda vez. Porém, nessas pessoas o vírus pode ser reativado caso a imunidade venha a cair. Quando isso ocorre a manifestação da doença é como herpes zoster.Sinais e sintomasOs sintomas iniciais são febre e o aparecimento das lesões, também chamadas exantemas, que iniciam na região do tórax e em seguida vão se espalhando para todo o corpo. Depois, surgem vesículas que coçam intensamente. Uma característica da catapora, que a difere de outras doenças, é o resurgimento de exantemas a cada 4 dias. Assim, vários estágios das lesões são encontrados ao mesmo tempo. Essas feridas podem aparecer, inclusive, no couro cabeludo e na mucosa oral.A maioria das crianças tem entre 250 e 500 lesões, que começam como manchas vermelhas (máculas) se transformam em pápulas (quando se tornam elevadas) e depois vesículas (pequenas bolhinhas) com líquidos transparente em seu interior. Após esse estágio as vesículas se tornam pústulas, com líquido purulento e então estouram formando crostas acastanhadas. Quando todas as lesões já estão em estágio de crostas, a doença não é mais transmitida pela criança.ComplicaçõesÉ necessário ter cuidado com a doenças e as lesões, pois podem ocorrer infecções graves como infecção secundária das lesões de pele, pneumonia, encefalite, complicações hemorrágicas, hepatite, artrite, e infecção invasiva grave, com risco de óbito.O que fazer para evitar as complicações?1. Deixe as unhas da criança sempre curtas para evitar que ela coce as feridas e se machuque;2. Evite que a criança infectada fique perto de pessoas cuja imunidade é baixa;3. Vista seu filho com roupas leves pois isso alivia e diminui a coceira;4. Não deixe que a criança arranque ou coce as crostas, pois ao machucar muito o local pode formar cicatriz. Por isso é muito importante o cuidado com as lesões da face, para não deixar marcas;5. Deixe a criança em casa, não tendo contato com as outras da escola ou outro ambiente;6. Dê ao seu filho alimentos leves e muito líquido, para que ele fique bem hidratado e combata mais rapidamente o vírus;7. Mantenha a criança em repouso, principalmente enquanto estiver com febre;8. É muito importante a higiene do corpo todo, para que não ocorra infecção das lesões. Dê de 2 a 3 banhos diários.9. O tratamento é basicamente sintomático, ou seja, apenas para aliviar os sintomas e esperar a doença passar. Porém é importantíssimo que não administre Aspirina para a criança pois pode causar um síndrome chamada Reye que leva a morte.10. Mesmo tendo tomado a vacina contra a catapora seu filho pode adquirir a doença, porém ela será muito mais leve. Essa é a vantagem de vacinar.