Cirurgias Plásticas Da Intimidade Teresina, Piauí

Cirurgias Plásticas Da Intimidade em Teresina. Encontre telefones, endereços e informações sobre Cirurgias Plásticas Da Intimidade em Teresina e região. Leia o artigo abaixo para obter dicas, tutoriais e informações relevantes sobre Cirurgias Plásticas Da Intimidade.

Maurilio de Miranda Nunes
(86) 3226-2306
R Felix Pacheco 2159
Teresina, Piauí
Especialidade
Cirurgia Plástica

Dados Divulgados por
Rosemberg Eulalio Leite
(86) 3223-3584
R Lisandro Nogueira 1715
Teresina, Piauí
Especialidade
Cirurgia Plástica

Dados Divulgados por
Pericles Freitas Avelino
(86) 3223-4261
R Governador Raimundo Artur de Vasconcelos 616
Teresina, Piauí
Especialidade
Cirurgia Plástica

Dados Divulgados por
Denyberg de Oliveira Santiago
(86) 3222-2030
R Governador Raimundo Artur de Vasconcelos 670 - S 704
Teresina, Piauí
Especialidade
Cirurgia Plástica

Dados Divulgados por
Fernando Cronemberger Miranda
(86) 3230-1032
Av Raul Lopes 1000 - Mod 10 Espaco Saude Teresina Shopping
Teresina, Piauí
Especialidade
Cirurgia Plástica

Dados Divulgados por
Geraldo de Margella Lages Rebelo
(86) 3222-3162
R Elizeu Martins 1795
Teresina, Piauí
Especialidade
Cirurgia Plástica

Dados Divulgados por
Edison de Araujo Vale
R Coelho de Resende 344 - N
Teresina, Piauí
Especialidade
Cirurgia Plástica

Dados Divulgados por
Raimundo Jose Martins de Sousa
R Desembargador Pires de Castro 380 - S 204 e 205 C M Dirceu Arcoverde
Teresina, Piauí
Especialidade
Cirurgia Plástica

Dados Divulgados por
Benedito Portela Barbosa
222-7543
R Eliseu Martins 1631 - Sala B
Teresina, Piauí
Especialidade
Cirurgia Plástica

Dados Divulgados por
Francisco Jose Lima
(86) 3226-1312
R Paissandu 2140
Teresina, Piauí
Especialidade
Clínica Médica

Dados Divulgados por
Dados Divulgados por

Cirurgias plásticas da intimidade

A cirurgia plástica é um segmento da medicina que vem evoluindo muito nos últimos anos, com procedimentos cada vez menos invasivos, os cirurgiões vêm desenvolvendo técnicas capazes de resolver quase todos os problemas estéticos ou funcionais do corpo humano. Uma dessas modalidades que vem ganhando destaque pelo aumento da procura, é a chamada cirurgia plástica da intimidade, ou seja, a cirurgia realizada nos órgãos genitais femininos para resolver problemas ou corrigir deformidades, buscando uma melhora estética, psicológica ou ainda para o melhor funcionamento dos órgãos.A técnica das cirurgias plásticas da intimidade foi desenvolvida por um cirurgião Frances, e nos últimos anos esse método foi aprimorado, passando a atender outras necessidades relacionadas. Inicialmente eram raros os pacientes que se submetiam a esse tipo de cirurgia, chegando a registrar 5 cirurgias ao ano somente, atualmente esse número é 100 vezes maior, e deve seguir aumentando, pois além das técnicas serem aprimoradas o preconceito quanto a esse tipo de cirurgia também diminui, pois as mulheres e os casais estão interessados na qualidade das suas relações sexuais, havendo maior liberdade para expor os problemas e dificuldades encontradas para médicos e cirurgiões.As cirurgias plásticas da intimidade serve para corrigir problemas e imperfeições na área genital, contudo o procedimento mais procurado é para diminuir os lábios vaginais femininos, ou seja, a correção da hipertrofia vaginal. Também são muito freqüentes as cirurgias para diminuir ou aumentar a gordura localizada no púbis e nos grandes lábios, assim como a correção de outros problemas de ordem funcional ou mesmo estética. Muitos desses problemas têm agravantes que vão além das questões estéticas, pois é comum mulheres com dificuldades de manter relações sexuais em virtude da falta de segurança, criando barreiras às vezes difíceis de serem removidas e que muitas vezes impossibilitam a mulher de obter prazer nas suas relações.A cirurgia intima são na sua maioria bastante simples, e a retirada das mucosas ou da gordura localizada acontece sob o feito de anestesia local e sedação, em procedimentos com tempo médico de meia hora, e sem necessidade de internação, podendo, via de regra, a paciente voltar as atividades normais dentro de 2 ou 3 dias e evitando manter relações sexuais pelo período médio de 30 dias.