Dda Patos, Paraíba

Dda em Patos. Encontre telefones, endereços e informações sobre Dda em Patos e região. Leia o artigo abaixo para obter dicas, tutoriais e informações relevantes sobre Dda.

Wellington Onias Alves
(83) 421-5405
R. Bossuet Wanderlay 326
Patos, Paraíba
Especialidade
Clínica Médica

Dados Divulgados por
Luiza Betanea Mendes de Souza Medeiros
(83) 3421-3836
R. Pedro Firmino 244
Patos, Paraíba
Especialidade
Clínica Médica

Dados Divulgados por
Suely Carmem Araujo Cartaxo
(83) 421-3406
R. Pedro Firmino 205
Patos, Paraíba
Especialidade
Clínica Médica

Dados Divulgados por
Geraldo Gomes de Carvalho
(83) 421-3314
R. Peregrino Filho 89
Patos, Paraíba
Especialidade
Clínica Médica

Dados Divulgados por
Alice Grisi Psicóloga Especialista Cognitivo Comportamental
(83) 8853-4017
Avenida Monteiro da Franca.
João Pessoa, Paraíba
 
Otoni Jose de Medeiros
(83) 421-3827
R.Doutor Pedro Firmino 256
Patos, Paraíba
Especialidade
Clínica Médica

Dados Divulgados por
Jorge Firmino Alves
(83) 3421-3827
Av.Pedro Firmino 256
Patos, Paraíba
Especialidade
Clínica Médica

Dados Divulgados por
Miguel Arcanjo N. Rodrigues
833-4213
R Darcilio Wanderley 135
Patos, Paraíba
Especialidade
Clínica Médica

Dados Divulgados por
Mozart de Barros e Silva
(83) 3226-6548
Avenida General Edson Ramalho ap 513
João Pessoa, Paraíba
 
Consultório de Psicologia Dra Marlene Gonçalves
(83) 3343-4410
Rua Dom Pedro II 112 ap 02
Campina Grande, Paraíba
 
Dados Divulgados por

DDA: O que é e quais os tratamentos

O DDA costuma ser notado durante os primeiros anos escolares, com as crianças ficando desinteressadas das atividadesO Distúrbio do Déficit de Atenção (DDA) é um problema que pode aparecer na infância e acompanhar o indivíduo pelo restante da vida, se não for tratado. Trata-se de sintomas de desatenção, inquietude e hiperatividade, muito comumente encontrados em crianças e adolescentes que não possuem a patologia, também conhecida como Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade (TDAH).Como essas características são comuns a muitas crianças, o diagnóstico do DDA aparece quando tais aspectos passam a influenciar significativamente na vida e no desenvolvimento das crianças, adolescentes e até adultos afetados. Por isso é importante o tratamento ser iniciado o mais rápido possível, para que a vida social do portador não seja totalmente afetada.Em geral, o distúrbio surge quando a criança inicia as atividades escolares, sendo muito comum aparecer entre os 6 e os 12 anos de idade, quando os primeiros sintomas começam a ser notados pelos professores, atrapalhando o desenvolvimento escolar do estudante. Nesta fase, a criança pode apresentar momentos de muita distração, intercalados com uma agitação fora do comum.Com o passar do tempo e a chegada da adolescência, os transtornos podem começar a vir acompanhados de problemas de má conduta e de péssimo relacionamento com outras pessoas, deixando o início da vida adulta mais complicado para o portador do DDA.CausasAcredita-se que a principal causa do transtorno seja genética, já que de acordo com pesquisas científicas, cerca de 75% das chances de se desenvolver o DDA são herdadas dos pais. Além do fator genético, o fumo durante a gestação e a demora no amadurecimento de determinadas regiões do cérebro também podem estar ligadas ao surgimento de sintomas do transtorno, principalmente se a pessoa estiver submetida a altos níveis de exigência de desempenho e concentração ou a eventos psicológicos estressantes.SintomasA hiperatividade também está entre os sintomas- Dificuldade frequente para se concentrar em tarefas e atividades recreativas;- Falta de atenção atrapalhando nas atividades escolares e do trabalho e também nas relações sociais;- Esquecimento frequente;- Dificuldade para organizar tarefas diárias;- Falta de vontade de se envolver em atividades que exijam esforço mental;- Dificuldade para brincar ou participar silenciosamente de atividades de lazer;- Agitação frequente, como se estivesse “a todo vapor”;- Vontade de falar em excesso, não esperando a sua vez de conversar.TratamentosOs tratamentos incluem medicamentos, acompanhamento dos pais e psicoterapiaO tratamento do DDA envolve o uso de medicamentos, que podem ser antidepressivos e psico-estimulantes, entre outros tipos de remédios, e também o acompanhamento de um psicoterapeuta. Além disso, é muito importante que os familiares e os professores (no caso das crianças) auxiliem ao paciente durante a reestruturação dos seus hábitos, para que a sua ansiedade diminua e ele possa ter um desenvolvimento normal.