Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica Teresina, Piauí

Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica em Teresina. Encontre telefones, endereços e informações sobre Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica em Teresina e região. Leia o artigo abaixo para obter dicas, tutoriais e informações relevantes sobre Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica.

Francisco Luis Lima
R Paissandu 2140
Teresina, Piauí
Especialidade
Clínica Médica

Dados Divulgados por
Jose de Ribamar Tourinho
(86) 3232-4945
Av Miguel Sady 209
Teresina, Piauí
Especialidade
Clínica Médica

Dados Divulgados por
Inocencia Ferreira Melo
Av Tomaz Rebelo 462
Teresina, Piauí
Especialidade
Clínica Médica

Dados Divulgados por
Roger Aragon de Moraes Marinho
(86) 3221-2723
R Elizeu Martins 1294 - Sala 201
Teresina, Piauí
Especialidade
Clínica Médica

Dados Divulgados por
Jose Alcy Fontenele
(86) 3221-8240
R Governador Raimundo Artur de Vasconcelos 616
Teresina, Piauí
Especialidade
Clínica Médica

Dados Divulgados por
Felix Pereira da Silva
223-2346
R Olavo Bilac 1520 - Sl 107
Teresina, Piauí
Especialidade
Clínica Médica

Dados Divulgados por
Antonio de Barros Araujo Filho
(86) 3215-6828
Av Leonidas Melo 370
Teresina, Piauí
Especialidade
Clínica Médica

Dados Divulgados por
Maria de Lourdes de F Veras
(86) 3221-0190
R Olavo Bilac 1610
Teresina, Piauí
Especialidade
Clínica Médica

Dados Divulgados por
Ceciane Alves Nery
(86) 4009-1110
R Coelho de Resende 1276
Teresina, Piauí
Especialidade
Clínica Médica

Dados Divulgados por
Thereza Christina Pereira Leal
(86) 3223-6664
R Alvaro Mendes 2268 - Sala 106
Teresina, Piauí
Especialidade
Clínica Médica

Dados Divulgados por
Dados Divulgados por

Doença pulmonar obstrutiva crônica: sintomas, causas, tratamento

Doença Pulmonar obstrutiva Crônica, também conhecida como DPOC é uma síndrome decorrente da obstrução das vias aéreas inferiores, de caráter irreversível. Ou seja, é uma doença progressiva e sem cura. Sua principal causa é o habito de fumar.O que ocorre nessa doença é que, depois de anos e anos exposto ao cigarro, a estrutura dos pulmões sofre lesões. A parede pulmonar começa a ser destruída, de forma que o ar consegue entrar, porém não consegue sair.Devido à lesão no epitélio pulmonar, a DPOC aumenta muito o risco de desenvolver câncer de pulmão.Como a doença se instala?O cigarro estimula a produção de muco pelas células pulmonares e, também, leva a hipertrófica (aumento) das glândulas submucosas. Outra consequência do tabagismo é a menor movimentação dos cílios, aumentando a chance de microrganismos penetrarem nas células, causando infecção. Além disso, algumas células, na presença do cigarro, liberam substâncias como a elastase, que lesa a parede pulmonar, deixando-a alargada e sem elasticidade.O resultado é uma lesão progressiva e irreversível, que leva o paciente a uma intensa falta de ar e dependência de oxigênio, além de diminuir extremamente a qualidade de vida.Quem tem chance de ter a doença?É uma doença mais comum em adultos ou idosos, pois os sintomas acabam aparecendo mais tardiamente. A mortalidade pela DPOC vem aumentando anualmente.No Brasil, 32% da população adulta é fumante. É interessante lembrar que, 90% dos casos de DPOC estão diretamente relacionados com o tabagismo. Os 10% restantes estão relacionados a doenças como “asma” e “deficiência da enzima alfa 1 antitripsina”, que também levam a alterações no epitélio, gerando a doença.Antigamente, os homens desenvolviam muito mais a DPOC do que as mulheres. Porém, com a aderência do habito de fumar pelo sexo feminino, esses números têm se aproximado.Sinai s e sintomasOs sinais e sintomas dessa doença são lentos, vão aparecendo gradativamente conforme o tempo. Assim que o primeiro sinal aparece, é importante que o paciente pare de fumar, caso contrário, os sintomas progredirão. A classificação da doença vai de leve à muito grave, dependendo a intensidade dos sintomas.Cansaço a médios esforços, como caminhada;Em casos mais graves, cansaço a pequenos esforços, como pentear o cabelo;Falta de ar aos esforços;Falta de ar durante a noite, com necessidade do paciente em levantar para respirar melhor;Falta de ar quando deitado;Aumento do tórax;Aumento de quadros infecciosos, relacionados ao pulmão, como pneumonia;Aumento da secreção brônquica gerando o pigarro;Tosse crônica e produtiva (com secreção amarelada);Bronquite crônica.TratamentoA obstrução das vias aéreas do paciente com DPOC apresenta boa melhora com o tratamento farmacológico. Porém, muitas vezes não há o que fazer, a não ser dar suporte para a melhor qualidade de vida do paciente. Para isso, são necessários alguns cuidados como:Parar de fumar;Uso adequado dos medicamentos;Fisioterapia para a reabilitação cardiopulmonar;Oxigenioterapia nos pacientes com muita falta de ar.Em casos graves é, muitas vezes, necessário fazer cirurgia de redução do pulmão, retirando as regiões mais afetadas, ou até mesmo o transplante pulmonar.