Doenças Visuais Boa Vista, Roraima

Doenças Visuais em Boa Vista. Encontre telefones, endereços e informações sobre Doenças Visuais em Boa Vista e região. Leia o artigo abaixo para obter dicas, tutoriais e informações relevantes sobre Doenças Visuais.

Francisco F de Farias Jr
(95) 224-4514
R Barreto Leite 214 - /2 Sala 1
Boa Vista, Roraima
Especialidade
Clínica Médica

Dados Divulgados por
Reis & Reis
(95) 224-1460
R Melvim Jones 43 - Sala a
Boa Vista, Roraima
Especialidade
Clínica Médica

Dados Divulgados por
Hospital Coronel Mota
(95) 3224-9285
r Cel Pinto, 636
Boa Vista, Roraima

Dados Divulgados por
Hospital estadual Materno-Infantil Nossa Senhora de Nazaré
(95) 3623-1818
r Pres Costa Silva, 950
Boa Vista, Roraima

Dados Divulgados por
Hospital Municipal Infantil Santo Antônio
(95) 3624-1684
av Guianas, 100 Calunga
Boa Vista, Roraima

Dados Divulgados por
Marilia Juliana Moreno Coelho Belmino
(95) 3265-5901
Av Mario Homem de Melho 3057
Boa Vista, Roraima
Especialidade
Clínica Médica

Dados Divulgados por
Hospital Lotty Íris Ltda
(95) 3224-1804
r José Coelho, 72 Centro
Boa Vista, Roraima

Dados Divulgados por
Hospital Lotty Íris
(95) 3224-1433
r Barreto Leite, 46 Centro
Boa Vista, Roraima

Dados Divulgados por
Hospital Maternidade Nossa Senhora De Fátima
(95) 3626-2098
av Parma Jóquei Clube Centenário
Boa Vista, Roraima

Dados Divulgados por
Hospital da Mulher
(95) 3224-1460
r Melvin Jones, 126
Boa Vista, Roraima

Dados Divulgados por
Dados Divulgados por

Doenças Visuais: Como Diagnosticar?

Os olhos são de extrema importância na vida de todas as pessoas, pois permitem ver tudo o que existem, com as cores, as formas, as paisagens, as pessoas, enfim, tudo mesmo.Mesmo sendo tão necessários e importantes, os olhos costumam ser deixados de lado quando o assunto é saúde. É mais do que comum as pessoas procurarem um oftalmologista apenas ao perceberem que não estão enxergando tão bem de longe ou de perto, quando o ideal é que isso ocorra periodicamente. Só assim há a possibilidade de diagnósticos precoces, evitando que possíveis problemas se agravem e evoluam até mesmo para a cegueira.Quando a criança nasce, o exame oftalmológico deve ser realizado pelo pediatra. É o exame do reflexo vermelho, que pode detectar, por exemplo, tumores, catarata congênita (opacificação do cristalino), glaucoma congênito (aumento da pressão nos olhos), leucocoria (reflexo pupilar branco) e infecções, como a toxoplasmose, que a mãe contaminada pode passar ao filho e causar uma cicatriz no fundo do seu olho.Para os adultos, os oftalmologistas ficam atentos as ametropias (miopia, hipermetropia e astigmatismo), catarata, glaucoma, retinopatia diabética e hipertensiva (alterações no fundo do olho relacionadas a diabetes e a hipertensão arterial) doenças degenerativas, entre outras. Se o paciente notar qualquer problema no olho, mesmo sendo leve, deve consultar um médico.A prevenção é sempre a melhor alternativa, portanto, evite coçá-los, porque pode surgir lesões na córnea e retina, levando à cegueira em casos mais graves. Sempre que receitado, use óculos ou lentes, caso contrário os resultados são dores de cabeça, olhos cansados e secos. Mantenha também uma dieta balanceada e invista em alimentos com ômega-3, zinco, selênio e vitaminas A e E.As doenças mais conhecidas são:Ametropia: erro de refração ocular, como miopia (não enxerga claramente de longe), hipermetropia (não enxerga claramente de perto) e astigmatismo (visão distorcida de longe e de perto). Os problemas de visão podem ser corrigidos com o uso de óculos, lentes e cirurgias a laser.Catarata: é a opacificação do cristalino, que geralmente acontece após os 60 anos, mas algumas crianças podem já nascer com o problema. Todas as pessoas terão catarata algum dia, umas mais cedo e outras mais tarde. O tratamento é cirúrgico e consiste em remover a catarata e implantar uma lente intra-ocular.Estrabismo: a criança pode nascer estrábica (vesga, como é chamada popularmente) e, em alguns casos, isso tem relação com alguma doença ocular, como tumor e glaucoma congênito. Há também a chance de aparecer após os seis meses de vida. Se notar qualquer sinal de desvio dos olhos dos filhos, procure um médico. O tratamento consiste em usar tampão e óculos. Se não resolver, a solução é a cirurgia. Caso não cuide, o incômodo estético permanece, além da possibilidade de prejudicar a visão.Glaucoma: é o aumento da pressão nos olhos, se não for tratado, pode levar à perda gradual e irreversível da visão. Os fatores de risco para desenvolver a doença são hipertensão, idade acima de 40 anos, diabetes, histórico familiar, raça negra, longo tratamento com esteróides ou altos graus de miopia. Há a possibilidade de bebês nascerem com a doença. O tratamento consiste no uso de colírios, o laser e a cirurgia.Todo problema relacionado à visão deve ter um acompanhamento médico, pois só com a recomendação deste é possível solucionar a situação.