Leishmaniose Vespasiano, Minas Gerais

Leishmaniose em Vespasiano. Encontre telefones, endereços e informações sobre Leishmaniose em Vespasiano e região. Leia o artigo abaixo para obter dicas, tutoriais e informações relevantes sobre Leishmaniose.

Antonio Americo Lopes de Macedo
364-1155
R Jose Miranda de Almeida 85
Santa Luzia, Minas Gerais
Especialidade
Clínica Médica

Dados Divulgados por
Jose Anicio Drumond
(31) 3637-1299
R Geraldo Teixeira da Costa 78
Santa Luzia, Minas Gerais
Especialidade
Clínica Médica

Dados Divulgados por
Christina de Oliveira Gontijo
3641-2310
Av Nossa Senhora do Carmo 564
Santa Luzia, Minas Gerais
Especialidade
Clínica Médica

Dados Divulgados por
Maria Aparecida Camargos Bicalho
3241-1848
R Padre Marinho 49 - Sala 602
Belo Horizonte, Minas Gerais
Especialidade
Clínica Médica

Dados Divulgados por
Zilton de Barros Castro
3384-3566
R Rodolfo Jacob 369
Belo Horizonte, Minas Gerais
Especialidade
Clínica Médica

Dados Divulgados por
Tereza Cristina Rocha Giovannini
3641-2447
R da Baroneza 81
Santa Luzia, Minas Gerais
Especialidade
Clínica Médica

Dados Divulgados por
Guilherme Augusto Machado Nascimento
364-1223
R Presidente Afonso Pena 131
Santa Luzia, Minas Gerais
Especialidade
Clínica Médica

Dados Divulgados por
Luiz Vieira Fernandes
(80) 030-3003
Av Brasil 888 - 12. Andar
Belo Horizonte, Minas Gerais
Especialidade
Clínica Médica

Dados Divulgados por
Ricardo Luis Passos Coelho
338-9673
R Desembargador Ribeiro da Luz 363 - Sala 38
Belo Horizonte, Minas Gerais
Especialidade
Clínica Médica

Dados Divulgados por
Ana Paula Moutinho Amorim
327-5177
R Timbiras 3109 - Conj 1101 a 1103
Belo Horizonte, Minas Gerais
Especialidade
Clínica Médica

Dados Divulgados por
Dados Divulgados por

Leishmaniose: sintomas, causas, tratamento

Mosquito que transmite a Leishmaniose (Foto:Divulgação)A Leishmaniose é uma doença infecciosa causada por um parasita encontrado em lugares com condições sanitárias precárias. Existem dois tipos de Leishmaniose a tegumentar e a visceral, conhecida também por calazar.O primeiro tipo é caracterizado por feridas na pele, que se localizam em qualquer parte do corpo e posteriormente pode acometer também áreas como as mucosas do nariz, da boca e da garganta. Já a Leishmaniose visceral acomete órgãos internos como o fígado, o baço e a medula óssea. Os mais acometidos por esta doença são as crianças e ela pode durar alguns meses ou anos.CausasA doença é causada por parasitas que vivem e se multiplicam no interior de células de defesa como os macrófagos. Sua transmissão se dá através de insetos que se alimentam de sangue, que medem cerca de dois milímetros e por isso conseguem atravessas malhas, mosquiteiros e telas de proteção. Como a Leishmaniose é uma zoonose ela só é transmitida ao ser humano depois que o mosquito pica um animal infectado.A fonte de infecção da Leishmaniose cutânea são os animais silvestres, como os roedores, tamanduás ou preguiças e também o cachorro doméstico, fonte da maioria dos casos. Já na L. visceral o maior hospedeiro é a raposa.Leishmaniose Cutânea (Foto:Divulgação)Sintomas- Leishmaniose VisceralOs sintomas deste subtipo da doença são a febre irregular e prolongada, anemia, palidez da pele e mucosas, falta de apetite, emagrecimento e aumento do fígado e do baço.O período de incubação até a manifestação dos sintomas podem variar de dois a seis meses. A progressão da doença inclui a diminuição no número de plaquetas e leucócitos levando a sangramento, infecções e em casos mais extremos, a morte.- Leishmaniose CutâneaNesta variação da doença os sintomas são o aparecimento de uma elevação na pele que logo evolui para uma ulceração, que pode estar com pus ou não. Também podem ser evidenciadas em alguns casos o aparecimento de lesões no nariz e na boca.Os cães são hospedeiros da doença (Foto:Divulgação)TratamentoAssim que identificados alguns dos sintomas o importante é consultar o médico. Ele passará alguns medicamentos que devem ser aplicados através de injeções. Já a Leishmaniose cutânea pode se curar sozinha, mas as vezes as feridas demoram para curar ou deixam cicatrizes, por isso o médico também terá uma orientação adequada a respeito dos medicamentos a serem usados.A prevenção é sempre o melhor método para se evitar uma doença como esta, por isso é importante sempre fazer uso de repelentes quando for em matas ou em locais que existam focos da doença. A dedetização e o uso de telas e mosquiteiros também podem ajudar a manter o mosquito distante.