Mau Humor Crônico Cuiabá, Mato Grosso

Mau Humor Crônico em Cuiabá. Encontre telefones, endereços e informações sobre Mau Humor Crônico em Cuiabá e região. Leia o artigo abaixo para obter dicas, tutoriais e informações relevantes sobre Mau Humor Crônico.

Telma Dias Novaes de Rezende Batistella
(65) 3623-4546
Rua Presidente Castelo Branco 400
Cuiabá, Mato Grosso
 
Instituto de Odontologia Integrada
(65) 3624-4456
Rua Flores, 503
Cuiabá, Mato Grosso
 
Ariel José de Camargo
(65) 3624-2960
Rua Brigadeiro Eduardo Gomes 144
Cuiabá, Mato Grosso
 
Antônio Jerônimo Luz de Abreu
(65) 3321-6195
Avenida Mato Grosso 328
Cuiabá, Mato Grosso
 
Eduardo Roberto Lopes
(65) 3624-0992
Rua Antônio Maria Coelho 400
Cuiabá, Mato Grosso
 
Jorge Kimura
(65) 3624-3570
Rua Roma 1
Cuiabá, Mato Grosso
 
Darwim Vaz de Lima
(65) 3621-4404
Avenida Marechal Deodoro, 521
Cuiabá, Mato Grosso
 
Hani Hamed Fares
(65) 3052-4579
Rua Neide Luíza Bastos Vieira 12 lt 7
Cuiabá, Mato Grosso
 
Carolina Pinheiro Ramazoti
(65) 3623-8227
Rua Barão de Melgaço 2403
Cuiabá, Mato Grosso
 
João Alfredo Silva
(65) 3623-5546
Rua Vila Maria 146
Cuiabá, Mato Grosso
 

Mau Humor Crônico, Como Tratar

Algumas doenças não são identificadas com facilidade e precisão, como é o caso do mau humor crônico, conhecido também como distimia. A distimia é uma doença do humor, assim como a depressão, entretanto ela ocorre de maneira persistente, o que da a idéia de doença crônica, pois ela dura por longos períodos.Os sintomas do mau humor crônico são parecidos com algumas doenças psicológicas, como ansiedade e depressão, tendo aumento ou diminuição do apetite, e é comum a pessoa sentir insônia, ou muito sono, cansaço elevado, auto-estima baixa, tendo sempre a frente de qualquer idéia um pensamento pessimista, se sentindo incapaz de cumprir com suas tarefas e com constante sentimento de infelicidade.O que diferencia a distimia da depressão é que, neste caso a pessoa pode associar todos os sintomas e características como o seu “jeito de ser” diferente da depressão. Sintomas esses que levam o doente ao isolamento, e a levar uma vida limitada, sem capacidade de tomar decisões, sendo muitas vezes fracassado na vida familiar, social e profissional. Esses sintomas não são padrão, entretanto são os mais comuns para identificar o mau humor crônico.A distimia geralmente é confundida com a personalidade da pessoa, por começar muito cedo, normalmente antes dos 25 anos. O diagnóstico é difícil, pois muitas pessoas são pessimistas e não tem necessariamente a doença, entretanto existe uma diferença crucial, pois a pessoa que sofre de distimia consegue ver somente o lado negativo de tudo, mesmo se a situação for boa e vantajosa para ele, ainda assim ele consegue ver os pesares do acontecimento, afetando sua maneira de ver a vida. É muito mais do que apenas se lamentar diante dos problemas, porém as pessoas que possuem distimia continuam sua vida normalmente, ao contrario da depressão ou de outros transtornos que impedem que a pessoa leve uma vida normal. Geralmente quem possui mau humor crônico tem a fama de reclamar muito da vida.É muito importante que a pessoa procure um tratamento para mau humor crônico, pois está situação pode se agravar, piorando o quadro de quem possui está doença. O diagnóstico preciso da doença é fundamental, pois levando em consideração os sintomas, a doença pode ser confundida e tratada com medicamentos que não funcionam com eficácia para a distimia.A maneira mais comum de como tratar mau humor crônico é através de medicamentos. Esses medicamentos geralmente são antidepressivos, entretanto existe alternativas como a psicoterapia, e em alguns casos a terapia familiar pode ajudar o relacionamento do paciente com a família. É necessário ir a um especialista, pois somente ele poderá dar um diagnóstico preciso e indicar um tratamento de acordo com as necessidades do paciente do qual ele julgue funcional, dependendo do caso de cada pessoa.Se você se identifica com os sintomas, é melhor procurar um especialista, pois doenças psicológicas merecem toda a atenção, como qualquer doença. E para quem sofre de distimia, levar uma vida saudável e com um olhar otimista pode mudar toda uma história.