Ovário Policístico Brasília, DF

Ovário Policístico em Brasília. Encontre telefones, endereços e informações sobre Ovário Policístico em Brasília e região. Leia o artigo abaixo para obter dicas, tutoriais e informações relevantes sobre Ovário Policístico.

Cezar Augusto Pigatto
Seps 715 - /915 Bloco C 1º Andar Sala 104 Hospital São Lucas
Brasilia, DF
Especialidade
Mastologia

Dados Divulgados por
Eduardo de Oliveira
(32) 451-0550
Brasilia, DF
Especialidade
Ginecologia e Obstetrícia

Dados Divulgados por
Judiluzia Araujo de Figueiredo
(35) 631-3460
Brasilia, DF
Especialidade
Ginecologia e Obstetrícia

Dados Divulgados por
Sebastião Maluf
(33) 522-2320
Brasilia, DF
Especialidade
Ginecologia e Obstetrícia

Dados Divulgados por
Swedenburg do Nascimento Barbosa
(32) 457-7840
Brasilia, DF
Especialidade
Ginecologia e Obstetrícia

Dados Divulgados por
Ana Lucia Brandes M. Ferreira
(61) 3346-1177
Shls 716 - Sala 217 Centro Clinico Sul Torre Ii
Brasilia, DF
Especialidade
Ginecologia e Obstetrícia

Dados Divulgados por
Gilson Luiz Fidelis da Silva
(32) 453-5330
Brasilia, DF
Especialidade
Ginecologia e Obstetrícia

Dados Divulgados por
Marcia Nobrega de Queiroz
(61) 3248-6166
Qi 15 Cons 05 Hospital Brasilia 15 - Area Especial
Brasilia, DF
Especialidade
Ginecologia e Obstetrícia

Dados Divulgados por
Maria Julita Palmeira Rodrigues
(33) 262-4770
Sdn Cj.a Conj. Nacional 4º Andar Sl. 4.104
Brasilia, DF
Especialidade
Ginecologia e Obstetrícia

Dados Divulgados por
Silvio Carlos Duarte
(32) 457-7840
Cancerologia Ginecologia e Obstetrícia Mastologia
Brasilia, DF
Especialidade
Mastologia

Dados Divulgados por
Dados Divulgados por

Entenda e saiba como tratar o problema do ovário policístico

Toda mulher, em cada lado do útero, possui um ovário. Os ovários têm a função de produzir os hormônios femininos e de acolher os óvulos que as mulheres trazem consigo desde que estão no ventre materno. Entretanto, algumas mulheres, por razões não esclarecidas, desenvolvem cistos nos ovários, esses cistos são pequenas bolsas com material líquido ou semi-sólido em seu interior. O nome desse fenômeno é ovário policístico. A importância fisiológica não é relevante, porém, os sintomas podem ser terríveis para algumas mulheres. A síndrome do ovário policístico é a mais comum entre as mulheres, atingindo entre 5 e 10% dessa população e aparece mais entre mulheres com idades que variam de 30 a 40 anos. Geralmente, a mulher descobre que tem ovário policístico quando é acatada pelos seus sintomas como alterações menstruais, hirsutismo, obesidade, acne e infertilidade.As menstruações de uma mulher com ovário policístico são espaçadas e acontece o hirsutismo, ou seja, aparecem pelos em locais incomuns como o rosto, seios e abdômen. Além desses sintomas, com a síndrome do ovário policístico, 50% das mulheres têm hiperinsulinismo e a porcentagem restante, apresenta problemas no hipotálamo, nas supra-renais e na hipófase, produzindo mais hormônios masculinos.O diagnóstico dessa síndrome pode ser feito através de exames clínicos, laboratoriais ou ultrassom ginecológico (ultrassonografia). No ultrassom, aparecem vários folículos na superfície de cada ovário, que são os cistos. Ele deve ser feito entre o terceiro e o quinto dia do ciclo menstrual. Caso a mulher não seja virgem, a preferência deve ser feita pelo ultrassom transvaginal, que é mais eficiente.Porém, caso a mulher esteja tomando pílulas anticoncepcionais, o exame não é válido e ela deve procurar o médico novamente para repeti-lo, pois o medicamento causa alterações nos ovários. Se a mulher apresentar ovários policísticos ao ultrassom mas não tiver os sintomas comuns como as desordens na ovulação ou o hiperandrogenismo, não pode ser considerada como portadora da síndrome do ovário policístico.O tratamento da síndrome do ovário policístico é feito sintomaticamente. Garotas com 15 ou 16 anos que apresentam pelos e acnes e estão acima do peso, devem emagrecer. Entretanto, se não forem obesas, precisam diminuir a produção de hormônios masculinos através de pílulas anticoncepcionais, que reduz a produção de sebo e de pelos, pois atuam na unidade pilossebácea.Porém, se a mulher for mais velha e quiser engravidar, os medicamentos a base de clomifeno são indutores da ovulação. No entanto, se mesmo assim a mulher não conseguir engravidar, os ovários podem ser estimulados pelas gonadotrofinas. Em último caso, é possível fazer uma cauterização laporoscópica para acabar com os cistos dos ovários. Para evitar os ovários policísticos ou para começar o seu tratamento o quanto antes, visite regularmente o seu ginecologista, fazendo todos os exames que lhe forem pedidos. Não se descuide, pois as mulheres que sofrem da síndrome do ovário policístico têm maiores riscos de desenvolverem problemas vasculares na menopausa e cuide do seu peso, pois esse é um dos fatores de risco para o aparecimento dos ovários policísticos, além de outras doenças.