Pele Albina Boa Vista, Roraima

Pele Albina em Boa Vista. Encontre telefones, endereços e informações sobre Pele Albina em Boa Vista e região. Leia o artigo abaixo para obter dicas, tutoriais e informações relevantes sobre Pele Albina.

Francisco F de Farias Jr
(95) 224-4514
R Barreto Leite 214 - /2 Sala 1
Boa Vista, Roraima
Especialidade
Clínica Médica

Dados Divulgados por
Marilia Juliana Moreno Coelho Belmino
(95) 3265-5901
Av Mario Homem de Melho 3057
Boa Vista, Roraima
Especialidade
Clínica Médica

Dados Divulgados por
Hospital Unimed
(95) 3624-2231
av Glaycon Paiva, 1083 São Vicente
Boa Vista, Roraima

Dados Divulgados por
Hospital Lotty Íris
(95) 3224-1433
r Barreto Leite, 46 Centro
Boa Vista, Roraima

Dados Divulgados por
Hospital estadual Materno-Infantil Nossa Senhora de Nazaré
(95) 3623-1818
r Pres Costa Silva, 950
Boa Vista, Roraima

Dados Divulgados por
Reis & Reis
(95) 224-1460
R Melvim Jones 43 - Sala a
Boa Vista, Roraima
Especialidade
Clínica Médica

Dados Divulgados por
Hospital Coronel Mota
(95) 3224-9285
r Cel Pinto, 636
Boa Vista, Roraima

Dados Divulgados por
HGR-Hospital Geral de Roraima
(95) 3623-8984
av Brg Eduardo Gomes, 3308
Boa Vista, Roraima

Dados Divulgados por
Hospital da Mulher
(95) 3224-1460
r Melvin Jones, 126
Boa Vista, Roraima

Dados Divulgados por
Hospital Municipal Infantil Santo Antônio
(95) 3624-1684
av Guianas, 100 Calunga
Boa Vista, Roraima

Dados Divulgados por
Dados Divulgados por

Cuidados necessários com a pele albina

Ao contrário do que muitos pensam, não se trata de uma deficiência, mas de uma modificação nos genes, individualizada pela carência total ou parcial de melanina.Com o aumento da temperatura a cada dia, componentes básicos dos dias quentes como protetor solar, bonés, óculos de sol e cremes hidratantes são mais do que essenciais para a proteção da pele, contra os raios lesivos do sol. Esses cuidados, muitas vezes ignorados, são ainda mais imperativos para quem possui a pele extremamente clara e sensível à radiação solar, como os albinos.Ao contrário do que ocorre com a maior parte das pessoas, a exposição solar – pra quem possui acromasia – não é o mesmo que pele bronzeada e saudável. Por não fabricar melanina – substância responsável por atribuir cor à pele e protegê-la do sol – essas pessoas se queimam com muita facilidade e, possuem um risco maior de contrair doenças de pele como: carcinoma, melanoma maligno, além de problemas oftalmológicos.A proteção contra a radiação solar é essencial para impedir o desenvolvimento antecipado doenças.A proteção contra a radiação solar é essencial para impedir o desenvolvimento antecipado doenças. “Entre os principais cuidados a serem tomados estão o uso constante de protetor solar e de óculos escuros com proteção para evitar complicações oftálmicas”, recomenda Carla Bortoloto, dermatologista clínica e cirúrgica do Instituto de Pesquisa e Tratamento do Cabelo e da Pele (IPTCP) e professora da Fundação Pele Saudável. Além disso, recomenda-se ainda o emprego de auxiliares como bonés, guarda-sóis, roupas mais fechadas e visitas recorrentes ao oftalmologista e ao dermatologista.Por fazerem parte de uma faixa etária em que dificilmente existe uma real extensão dos riscos à saúde, as crianças albinas necessitam de cuidados ainda mais exclusivos do que os adultos. “Elas não podem, de forma alguma, ficar expostas ao sol forte. Por isso, além da reposição do bloqueador solar a cada duas horas, recomenda-se inverter o horário das atividades ao ar livre para o período da noite”, indica Vania Carolina Piccinini Silva, dermatologista da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD).Por não fabricar melanina essas pessoas se queimam com muita facilidade e, possui um risco maior de contrair doenças de pele.Albinismo, o que é ?Ao contrário do que muitos pensam, não se trata de uma deficiência, mas de uma modificação nos genes, individualizada pela carência total ou parcial de melanina. Devido a falta dessa substâncias, as pessoas ficam com a pele clara, os cabelos loiros ou brancos e também com os olhos de cor azul-claro e rosado. “Essa alteração está presente em um para cada 20 mil nascidos vivos. A doença aparece desde o nascimento, mas não diminui, de forma alguma, a expectativa de vida do portador”, explica Carla.