Primeiros Socorros Em Caso De Picada Por Animais Perigosos Almirante Tamandaré, Paraná

Primeiros Socorros Em Caso De Picada Por Animais Perigosos em Almirante Tamandaré. Encontre telefones, endereços e informações sobre Primeiros Socorros Em Caso De Picada Por Animais Perigosos em Almirante Tamandaré e região. Leia o artigo abaixo para obter dicas, tutoriais e informações relevantes sobre Primeiros Socorros Em Caso De Picada Por Animais Perigosos.

Hospital Santa Edvigers
(41) 3036-3744
Rua Lourenço Ângelo Buzato 592
Almirante Tamandaré, Paraná
 
Irmandade Santa Casa da Misericórdia Nossa Senhora Rosário C
(41) 3656-3322
Rua Marechal Floriano Peixoto 95
Colombo, Paraná
 
Hospital Pequeno Príncipe
(41) 3310-1010
Rua Desembargador Motta 1070
Curitiba, Paraná
 
Hospital Santa Cruz
(41) 3312-3000
Avenida do Batel 1889
Curitiba, Paraná
 
Centro Médico Hospital Pilar
(41) 3076-5505
Rua Emílio de Menezes 833 - 2
Curitiba, Paraná
 
Hospital de Colombo
(41) 3675-5500
Rua São Pedro 892
Colombo, Paraná
 
Maurus Vinícius Stier Serpe
(41) 3336-4553
Avenida Cândido Hartmann 528 cj 61
Curitiba, Paraná
 
Arthur Leal
(41) 3242-7465
Avenida do Batel 1889
Curitiba, Paraná
 
Hospital Griffon
(41) 3269-8400
Rua João Alencar Guimarães 47
Curitiba, Paraná
 
Hospital Milton Muricy
(41) 3028-2627
Avenida das Indústrias 1970
Curitiba, Paraná
 

Primeiros socorros em caso de picada por animais perigosos

Quando dizemos animais perigosos, estamos querendo nos referir aos animais peçonhentos, ou seja, aqueles que apresentam glândulas secretoras e um aparelho inoculador de veneno, como por exemplo: alguns tipos de cobras, escorpiões, aranhas.Quando sofremos uma picada e não sabemos qual animal nos feriu, é necessário estarmos atentos ao local em que ocorreu a picada, assim como o tipo de mordedura sofrida. Porém, apenas um especialista poderá orientar ou distinguir qual tipo de animal foi o responsável pelo acidente.Quando for possível, leve o animal responsável pela lesão ao hospital, dentro de um recipiente seguro, para que o médico identifique o tipo de veneno e faça o tratamento na vítima de forma mais certeira.Vale lembrar que quando se trata de primeiros socorros é importante manter-se calmo e tranquilo, pois só assim poderemos agir de forma consciente e rápida, sem prejudicar ou atrapalhar o ocorrido.Fique atento aos locais de exposição e ao tipo de picada sofrida, isso pode ajudar a distinguir qual foi o animal causador.Quando posso suspeitar de picada por um animal peçonhento?Pequena mordida na pele – pode parecer um ponto avermelhado ou dolorido;Dor e inchaço no local da mordida podem aparecer mais lentamente;Pulso rápido e uma respiração difícil;Fraqueza;Dificuldade visual;Náuseas e vômitos.O que fazer diante de situações como essas?Sempre mantenha a vítima calma;Coloque a vítima deitada e evite que ela se movimente, pois o aumento da circulação pode favorecer a absorção do veneno;Localize o local da picada e lave com água e sabão;Cubra o local da picada com um pano limpo;Remova anéis, pulseiras e outros objetos que possam garrotear algum membro, devido ao inchaço do corpo;Procure manter o local picado no mesmo nível do coração ao abaixo dele;Leve a vítima o mais rápido possível a um atendimento especializado, para que receba o soro adequado na situação;Sempre que possível leve o animal que ocasional o acidente ou descreva suas características.Quais atitudes não devem ser tomadas diante a essa situação?Nunca realize torniquete, isto colabora com a diminuição da circulação, podendo levar a morte do tecido;Nunca realize corte no local da ferida (sangria);Nunca colocar qualquer tipo de substância no local da picada, a não ser água e sabão.De que maneira posso evitar acidentes com animais peçonhentos?Utilize botas – essa atitude evita até 80% dos acidentes com esses animais, porém antes de calçá-las verifique se não há presença de aranhas ou outros animais dentro delas.Proteja suas mãos – sempre que for mexer em tocos de madeiras ou qualquer outro local, utilize luvas.Conserve o ambiente – com o desmatamento, pela destruição do habitat natural, os animais mudam de hábitos, podendo chegar a se alojar em celeiros ou mesmo dentro de casa.