Teste Do Olhinho Teresina, Piauí

Teste Do Olhinho em Teresina. Encontre telefones, endereços e informações sobre Teste Do Olhinho em Teresina e região. Leia o artigo abaixo para obter dicas, tutoriais e informações relevantes sobre Teste Do Olhinho.

Bio Análise
(86) 3215-8585
Rua 19 de Novembro, 46
Teresina, Piauí
 
Med Lab
(86) 3221-0693
Rua Desembargador Pires de Castro 334
Teresina, Piauí
 
Laboratório Teresina
(86) 3222-0481
Rua São Pedro 1877
Teresina, Piauí
 
Laboratório Central de Saúde Pública Dr Costa Alvareng
(86) 3221-3551
Rua 19 de Novembro 1945
Teresina, Piauí
 
Laboratório Waldemar de Moura Análises Clínicas
(89) 3422-2412
Praça Félix Pacheco 626
Picos, Piauí
 
Lac - Laboratório de Análises Clínicas
(89) 3422-2094
Avenida Getúlio Vargas 380
Picos, Piauí
 
Cenacli - Centro de Análises Clínicas
(86) 3221-2477
Rua Olavo Bilac 2151
Teresina, Piauí
 
Endoanalises
(86) 3223-8979
Avenida Frei Serafim 2235
Teresina, Piauí
 
Centro de Patologia e Análises Clínicas
(89) 3422-3019
Avenida Nossa Senhora de Fátima 514
Picos, Piauí
 
Laboratório de Imunodiagnosticos de Teresina
(86) 3223-7022
Rua Anísio de Abreu 162
Teresina, Piauí
 

Os benefícios do teste do olhinho

Hoje, existem vários exames que são realizados logo que o bebê nasce, antes mesmo de sair do hospital. Esses testes são muito importantes para prevenir doenças e até mesmo encontrar alterações para que sejam tratadas o mais cedo possível evitando sequelas.O teste do olhinho é bem menos conhecido do que os outros testes que os bebês tem de fazer, como o do pezinho e o da orelhinha. Ainda existem estados brasileiros onde esse teste não é realizado.Como é feito? Vai doer?O teste do olhinho é muito fácil de ser feito. O médico usará um oftalmoscópio, um tipo de lanterna, que refletirá no olho do bebê. Assim, o feixe de luz entra e sai livremente pelo olho da criança emitindo luzes vermelhas, alaranjadas ou amarelas. É um teste indolor, não precisa do uso de colírio e é feito em 3 minutos.Quando há algum problema no olho do bebê, a luz encontrará um obstáculo ao passar pela pupila. Então, o médico saberá que não está normal e poderá investigar qual o problema apresentado, e assim, poderá tratar o mais rápido possível evitando complicações futuras, proporcionando ao bebê uma visão completamente saudável.Por que e quando fazer?Esse teste deve ser feito assim que a criança nasce. Caso não seja possível, então o médico pediatra deverá realizá-lo logo nas primeiras consultas de acompanhamento. Depois disto, o médico deve continuar a fazer o teste nas consultas regulares. Se o pediatra encontrar algum problema, vai encaminhar a criança para um especialista, que é um oftalmologista.Os bebês nascem sem saber enxergar, essa é uma atividade que ele vai aprender conforme a vida, assim como aprende a rir, falar e andar. Para que esse aprendizado da visão ocorra de modo correto, as estruturas dos olhos precisam estar saudáveis, normais.O teste do olhinho é capaz de detectar alterações que causem obstrução no eixo visual, como catarata, glaucoma congênito, retinoblastoma e outras doenças. A comparação dos reflexos dos dois olhos também fornece informações importantes, como diferenças de grau entre olhos ou o estrabismo.Até 3% dos bebês em todo o mundo tem algum problema nos olhinhos que podem ser diagnosticados com o teste. Ao detectar essas doenças cedo, existe a possibilidade de tratamento fazendo com que a criança desenvolva uma visão normal. Caso isso não seja feito, diversos problemas de visão podem acarretar doenças e até cegueira irreversível.Ao menos 60% das causas de cegueira ou de grave sequela visual infantil poderiam ter sido prevenidas e tratadas se fossem detectadas precocemente, antes de se tornarem graves. Daí a importância do teste do olhinho. Porém, mais da metade dos casos do problema só é descoberto tardiamente, quando as crianças já estão cegas para o resto da vida.A Sociedade Brasileira de Oftalmologia Pediátrica prevê cerca de 710 novos casos de cegueira por ano.O “Teste do Olhinho” é obrigatoriamente pago por todos os planos de saúde desde junho de 2010.Se o seu filho ainda não fez este teste, fale com seu pediatra!