Tratamentos Para Refluxo Santarém, Pará

Tratamentos Para Refluxo em Santarém. Encontre telefones, endereços e informações sobre Tratamentos Para Refluxo em Santarém e região. Leia o artigo abaixo para obter dicas, tutoriais e informações relevantes sobre Tratamentos Para Refluxo.

Rui de Mendonca Alho
Trav Morais Sarmento 650
Santarem, Pará
Especialidade
Cirurgia Geral

Dados Divulgados por
Valdenira dos Santos Menezes
522-1751
Trav Silvino Pinto 726
Santarem, Pará
Especialidade
Cirurgia Pediátrica

Dados Divulgados por
Hideaki Morotomi
(91) 3249-1824
Av Alcindo Cacela 1894
Belem, Pará
Especialidade
Cirurgia de Cabeça e Pescoço

Dados Divulgados por
Fortunato Jayme Athias
(91) 3249-6011
Av Governador Magalhaes Barata 695 - Sala 105
Belem, Pará
Especialidade
Cirurgia Geral

Dados Divulgados por
Marcelo Bandeira Coelho Dias
(91) 249-0555
Tv 14 - de Abril 1418
Belem, Pará
Especialidade
Cirurgia Geral

Dados Divulgados por
Edson de Araujo Alves Ferreira
(93) 3522-3503
Av Marechal Rondon 1587
Santarem, Pará
Especialidade
Cirurgia Geral

Dados Divulgados por
Emanuel Conceicao Resque Oliveira
241-8078
Rua Dom Pedro I 918
Belem, Pará
Especialidade
Cirurgia Pediátrica

Dados Divulgados por
Luiz Claudio Lopes Chaves
(91) 212-2436
Rua Bernal do Couto 469
Belem, Pará
Especialidade
Cirurgia Geral

Dados Divulgados por
Guilherme Lins de Vasconcelos Chaves Neto
(91) 3222-0860
Tv Quatorze de Marco 1206
Belem, Pará
Especialidade
Cirurgia da Mão

Dados Divulgados por
Francisco Jadir de Souza Campos
(91) 3249-8470
Trav. 14 de Abril 1549 - Térreo
Belem, Pará
Especialidade
Cirurgia de Cabeça e Pescoço

Dados Divulgados por
Dados Divulgados por

Tratamentos Para Refluxo

Refluxo é conhecido como um desconforto proporcionado por alterações no esôfago que faz com que haja um retorno anormal do conteúdo estomacal. No brasil, o refluxo corresponde a 75% das doenças relacionadas ao esôfago.Seus sintomas pioram quando se dobra o peito sobre a barriga ou quando a pessoa deita logo depois de alguma refeição. É parecido com uma azia, mas a ardência e a queimação são mais intensas podendo até parecer um infarte. Poderão ocorrer acessos de tosses e interrupção do sono.As crianças no primeiro ano de vida podem desenvolver refluxo. Alguns dos sintomas são engasgos, devolução da mamada, choro excessivo e sua repetição poderá levar a distúrbios respiratórios.O diagnóstico poderá ser feito por radiografia da transição esofágica ou endoscopia digestiva superior. A endoscopia facilita a coleta de materiais caso haja lesões ou ulceras podendo fazer uma avaliação mais precisa da inflamação e verificar se há algum potencial cancerígeno.Para diagnósticos em crianças o método mais utilizado é a Cintilografia do trânsito esôfago-gástrico. Através de uma mamadeira com uma quantidade mínima de substância radioativa é possível registrar imagens da radioatividade registrando o caminho do líquido. Atualmente, para confirmação de diagnóstico, são utilizados também a Manometria e o PHmetria de 24 horas.O tratamento clínico traz alivio dos sintomas, prevenção e cicatrização das lesões. Normalmente o tratamento associa medicamentos a dietas educativas. Para casos que necessitam de cirurgia é adotado a vídeo-laparoscopia. Um dos fatores de risco para o surgimento da doença é a obesidade.Algumas mudanças alimentares são necessárias, como evitar a alimentação em excesso e deitar logo em seguida, antes de completar duas horas. Para diminuir o desconforto da doença o paciente deverá evitar o consumo de bebidas alcoólicas e de líquidos muito quentes.Durante as refeições evite a ingestão de líquidos. Quando o estômago estiver vazio, evite cafés e chás pretos.As medicações utilizadas no caso de refluxo, normalmente, são os antiácidos comuns e antiácidos sistêmicos, que inibem a produção de ácido pelas células do estômago. Alguns remédios pró-cinéticos, que diminuem a quantidade de refluxo, podem ser adotados.Se os sintomas persistirem após esses tratamentos, o médico orientará um tratamento por tempo indeterminado ou fará indicação para cirurgia.Como já dito anteriormente, alguns hábitos deverão ser alterados para que o tratamento clínico seja satisfatório. Se o paciente é fumante, deverá largar este hábito, pois o cigarro piora a sensação de queimação. A perda de peso e a pratica de esportes e exercícios também auxilia o bom funcionamento do esôfago. Comer menores quantidades e mais vezes durante o dia. A alimentação deverá ser feita tranquilamente, mastigando-se bem os alimentos. Reduzir ou eliminar o consumo de bebidas alcoólicas. Após ingerir bebidas e alimentos evite deitar-se. Ajeite a cabeceira da cama com uma pequena inclinação de aproximadamente 15 cm ou dormindo do lado esquerdo.Caso a alteração dos hábitos alimentares combinados com medicação simples não resolva, os médicos prescreverão medicações mais fortes como os inibidores da bomba de prótons , procinéticos ou indicarão intervenção cirúrgica.