Vacinação Contra O Sarampo Cachoeirinha, Rio Grande do Sul

Vacinação Contra O Sarampo em Cachoeirinha. Encontre telefones, endereços e informações sobre Vacinação Contra O Sarampo em Cachoeirinha e região. Leia o artigo abaixo para obter dicas, tutoriais e informações relevantes sobre Vacinação Contra O Sarampo.

Nicola Zacarias Medaglia
(51) 3470-1612
Av Coronel Joao Batista S. da Silveira e Souza 130 - Sl. 107
Cachoeirinha, Rio Grande do Sul
Especialidade
Pediatria

Dados Divulgados por
Vera Beatriz Telichevesky
(51) 472-6440
R Ipiranga 95 - Sl. 706
Canoas, Rio Grande do Sul
Especialidade
Pediatria

Dados Divulgados por
Eva Maria Hammerle
(51) 3477-4258
Rua Afonso Gaviraghi 269 - Casa
Canoas, Rio Grande do Sul
Especialidade
Pediatria

Dados Divulgados por
Kleber Cavalcante Santos
513-4669
R Domingos Martins 111 - Sl. 501
Canoas, Rio Grande do Sul
Especialidade
Pediatria

Dados Divulgados por
Cleci Aquino Severo
(51) 347-6658
15 - de Janeiro 121 Cj. 204
Canoas, Rio Grande do Sul
Especialidade
Pediatria

Dados Divulgados por
Jovilde Montagna
(51) 3472-3561
Tiradentes 381 - 406
Canoas, Rio Grande do Sul
Especialidade
Pediatria

Dados Divulgados por
Edison Rodrigues Pinto
(53) 232-8493
R Conde de Porto Alegre 406
Rio Grande, Rio Grande do Sul
Especialidade
Pediatria

Dados Divulgados por
Carlos Henrique Cavalcante de Oliveira
(51) 3472-2466
Rua Muck 344 - Cj 704
Canoas, Rio Grande do Sul
Especialidade
Pediatria

Dados Divulgados por
Arlei Fernades Fortes
472-1204
Rua Fioravante Milanes 85 - /25
Canoas, Rio Grande do Sul
Especialidade
Pediatria

Dados Divulgados por
Mara Amado Leivas
(53) 3232-9456
Carlos Gomes 714
Rio Grande, Rio Grande do Sul
Especialidade
Pediatria

Dados Divulgados por
Dados Divulgados por

Campanha de Vacinação contra o Sarampo

O sarampo é uma doença causada pelo paramixovírus do gênero Morbillivirus. Ele atinge o sistema respiratório e é altamente contagioso, podendo ser transmitido pela tosse, espirro, beijo ou pelas gotículas que saem da boca na hora da fala ou por objetos contaminados. Por isso, ao saber de uma pessoa contaminada, é preciso isolá-la para que outras pessoas não fiquem doentes.Os primeiros sintomas do sarampo aparecem depois de 8 a12 dias da infecção e eles são a febre alta, a coriza, pequenas manchas brancas na parte interna da boca e olhos vermelhos. Dias depois, começam a surgir erupções vermelhas na pele que começam na face e no pescoço e que rapidamente se espalham pelo corpo todo. O tratamento pode durar até 3 semanas e é feito à base de remédios e de muito repouso. Após o 10º dia, os riscos de contaminação são praticamente nulos.No entanto, pessoas com imunidade baixa ou crianças desnutridas podem sofrer de complicações causadas pelo sarampo que podem gerar dores de cabeça, cegueira, diarréia grave, pneumonia e infecção de ouvido. Algumas mortes, portanto, acontecem por causa do não tratamento dos sintomas, e não pelo vírus.A prevenção contra o sarampo é feita através da vacinação, que geralmente ocorre em crianças. Entretanto, nada impede que adultos que nunca tenham sofrido da doença sejam vacinados. Os riscos de complicações geradas pelo sarampo que levam à morte aumentam bastante em pessoas com mais de 20 anos. Na maioria das vezes, a criança nasce com algumas células de defesa herdadas da mãe. Por isso, a primeira dose da vacina deve ser tomada no primeiro ou no segundo ano de vida. A segunda acontece entre os 4 e os 5 anos.Com o advento da vacina contra o sarampo, a porcentagem de casos de sarampo diminui em 60%, o que demonstra uma queda de mortes de 873.000 para 345.000 em 2005. Em 2008, esse número já estava em 164.000 e a tendência é que as mortes causadas pelo sarampo sejam cada vez menos comuns.O Brasil é um dos países que está conseguindo erradicar o vírus com grandes campanhas de vacinação contra o sarampo. Nesse ano, a Campanha de Seguimento Contra o Sarampo, que deveria ser encerrada no dia 16 de setembro, foi prorrogada até o dia 30 do mesmo mês.Até o dia 17, 16 milhões de crianças haviam sido imunizadas contra o vírus em todo o Brasil, ou seja, 94,7% do público alvo. Como a meta do Ministério da Saúde é alcançar os 95%, a campanha foi prorrogada por mais 15 dias para que as 17.094.514 crianças entre um e sete anos sejam vacinadas.Com essa prorrogação, os gestores estaduais poderão identificar quais são os municípios que não atingiram a meta, intensificando a campanha nessas regiões com a conscientização dos seus moradores. A campanha de vacinação contra o sarampo acontece em território nacional em intervalos de3 a5 anos para reforçar a proteção das crianças e para que o vírus seja disseminado do país.Por isso, se você ainda não vacinou os seus filhos, não deixe que eles sofram dessa doença. Aproveite a campanha de vacinação contra o sarampo e vá imediatamente ao posto de saúde mais próximo da sua casa. Lembre-se que a vacina é gratuita.